sexta-feira, outubro 09, 2009

NADA CONFORTÁVEL

COMPENSANDO
Liquidando a alegria, a felicidade vendida em formas, tamanhos, preços e tons, dependendo da sua condição de aquisição. Um verdadeiro bombardeio de anúncios e promoções que invadem todos os meios de comunicação. As ofertas vão de bonecas, robôs a carrinhos de controle remoto...a tecnologia infantil que assombra pela velocidade com que chega em nossas mãos, mas não esse ano. Esse ano eles não ganharão presentes no dias das crianças. Esse ano eles ficaram mais tristes que nos anos anteriores. Eles não foram preparado para esse momento, afinal sempre foi importante, pois todas as crianças do mundo ganharão. Eles não vão entender...Porque isso é importante se amados eles são... Não há gritos e são poucas as discussões, nem lagrimas demais. São normais. Mas esse ano eles não ganharam presentes dos dias das crianças. Nada disso! É claro que ganharão. Os pais estourarão(bummmmmmm!!) o limite da conta corrente, farão um crediário enorme, do tipo trinta e seis parcelas, mas não deixarão de dar os presentes do dias das crianças. Os pais sentir-se-ão menos culpados se o fizerem afinal eles estão sempre exaustos e não tem tempo para eles, não param para conversar e ouvir como foi o dia deles no colégio, ou perde tempo prá ficar ao seu lado sem fazer absolutamente nada. Ali ninguém ouve ninguém, ninguém fala com ninguém além do necessário para dividirem o mesmo ambiente e representarem bem seus papeis. Então eles ganharão presentes nos dias das crianças.

14 comentários:

Luísa disse...

Enquanto o dinheiro tentar cobrir o afecto...
Sorte das nossas crianças que lhes dedicamos tempo e nem tudo o que o dinheiro compra lhes é oferecido...
Beijinho terno

Selena Sartorelo disse...

Olá Luísa...É uma situação que entristece, pois a falta de carinho e atenção estão além das condições financeiras de muitos.
Nossos filhos não percebem a diferença pois nasceram num ambiente onde o amor e o respeito por eles sempre existiram. Mas é Inevitável não perceber essa falta nos olhos de tantas crianças e em muitas famílias.
Beijos e bom final de semana.

João Menéres disse...

Importante, muito importante esta tua chamada de atenção, que a alguém poderá despertar antes que seja tarde, demasiado tarde.

Um beijo, Selena.

angela disse...

Selena
Mesmo que fiquem junto, mesmo que amem seus filhos e conversem com eles, é dificil escapar da conversa na escola, dos amiguinhos desfilando seus presentes e perguntando o que ganharam, é preciso ter alguma maturidade para começar a fazer isso.
Acho ótimo que fale nisso e a gente possa ir conversando e trocando ideias.
Daqui a pouco é Natal...
beijos

Selena Sartorelo disse...

Olá João...Aqui no Brasil, como em outros lugares do mundo também, os valores foram sendo esquecidos, deturpados, confudimo-nos em nossas atitudes e equivocamos valores reais e falsas morais...liberdade e libertinagem, política e politicagem. Compramos as idéias dos outros sem ao menos questioná-las. Esses dias eu li lá no blog da Lílian (Dulcinéia) algima coisa parecido com..."Queremos um mundo melhor para nossos filhos. Porque não deixamos filhos melhores para o mundo."
Utópico eu sei. É como dar murros em ponta de faca, dói demais rsrs!!
Obrigada e desculpe-me acabei exagerando no tamanho da resposta/comentário.
Beijos meu querido amigo e obrigada pela visita, já estou começando a me acostumar com elas rsrsr!!!!!!

Olá Angela...Você tem toda razão. Não ceder a isso é muito difícil..são apelos que vem encobertos e que atinge sempre o sentimento que está mais fragilizado...uma longa prosa que dá muito pano prá manga...Sim acho que seria muito bom se apontasse-mos nossas opiniões em cada aspecto que essa questão merece. E todas as opiniões são muito bem vindas...Não são mudanças imediatas, mas se forem claras em suas explicações podem fazer alguma diferença, quem sabe...

beijos e obrigada.

Licínio Filho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Licínio Filho disse...

Oi Selena,
muito pertinente esta postagem. Quinta feira li na coluna do Frei Beto, no Jornal "Estado de Minas" um artigo abordando justamente estas questões relacionadas a forma como educamos nossas crianças e os apelos da mídia, transformando datas como o "Dia das Crianças" em eventos meramente consumistas.O referido artigo, intitulado "Dia das Crianças:cidadã ouconsumista" onde Frei Beto nos chama a atenção sobre como estamos moldando o caráter de nossas crianças a partir da imposição do TER sobre o SER.Ele termina seu artigo com a seguinte reflexão:

"Se você adora passear com seu filho em shoppings, não estranhe se, no futuro ele se tornar um adulto recentido por não possuir bens finitos. Se você, porém, incultir nele apreço aos bens infinitos - generosidade, solidariedade, espiritualidade - ele, se tornará uma pessoa feliz e, quando adulto, será seu companheiro de amizade e não o eterno filho-problema a lhe causar tanta aflição. Saber educar é saber amar."

Abração.

P.S.
Excluí o comentário anterior para corrigir um errinho :)

Selena Sartorelo disse...

Olá Licínio...Não conheço esse assunto mais do quê o que vejo ao meu redor, onde as crianças perderam a satisfação de lutar por alguma coisa e valorizar suas conquistas, onde o erro deveria fazer parte natural do aprendizado e que as respostas aos fracassos só adquirem significados quando os vivenciamos. O passado sempre foi o critico e o conselheiro do nosso presente. O futuro é o nosso espelho numa geração em evolução.
A unanimidade de pensamentos que não são próprios nem originais dissiminam e ignoram a verdadeira existência.
Comportamentos tornaram-se padronizados, sistematicos e desmedidos em nome de nada.
A oportunidade existente para substituir a culpa e a responsabilidade pelo conhecimento amplo e irrestrito porém dosado de acordo com a compreensão de cada um.

Perdoe-me se a resposta/comentário ficou meio confuso, mas já o havia feito e acabei perdendo-o..

beijos

O que elas estao lendo!? disse...

O dia de hoje é muito importante na vida das nossas criancas. Por isso mesmo temos algo bem especial. Passe por lá.

Abracos

Ví Leardi disse...

...muito triste e verdadeiro...mas ...não nos esqueçamos que mais triste ainda é que cada vez mais
"Money makes the world go around,the world go around,money,money,money......!"
E assim é...!
beijos querida.

OUTONO disse...

Texto coragem! Parabéns!

Um tal de caçador disse...

É isso aí, não há tempo para o que é verdadeiramente importante. Ainda bem (para o meu filho) que eu nunca fui um senhor sério (nem sou, senão quem é que fotografava toda aquela bichadada?).

Bêjo

Ángel Corrochano disse...

Buena reflexión. los niños de hoy serán nuestros futuros gobernantes, profesionales, empresarios ... los valores que reciban de nosotros condicionaran el futuro de la sociedad.

Abrazos

haideé disse...

En nosotros está buscar la simplicidad y con ella el modo de transmitirlo :)
Gracias por tu compañía :)
Un abrazo