quarta-feira, janeiro 27, 2010

CRÔNICA DO DIA DE ONTEM.

Crônica do dia.
É sempre assim. Meio descompensada, sem filosofia, atrapalhada e movida por essa compulsão, uma catarse de emoção...que toma a mente da gente...preciso escrever é fato e perigoso eu sei...sem medida, nem preguiça, apenas assim. Penso em escrever um roteiro, um livro, poesias, sentimentos , mas que nada, fica tudo na teoria...novelas já tenho algumas começadas, mas para que terminá-las se não serão representadas. Artista não sei se sou, ou sei que não sou...uma vez que nesse mundo todo mundo é. O que acontece nessa confusão é a certeza da duvida que tenho com a situação. Sou uma pessoa comum. Coisa que é uma dificuldade para manter-se atualmente em meio a tanta repetição. Meu marido fala que eu falo escrevendo. Ai que saco!!! Sei que às vezes ele tem razão, mas sei que também não. Quero falar de política, economia, literatura e poesia, história e tudo o que me interessa pensar, dar risadas com porcarias e me emocionar com a fotografia ou alguma poesia... se tiver que escrever receitas tudo bem...desde que as crie com o meu próprio tempero. Aquela velha história de algo feito com encanto e magia. Ah! Sei lá. Muitas novidades recheadas de hipocrisia. Escrever é como se o vento fosse o próprio pensamento que conseguimos lembrar, mas se não o sentirmos naquele momento ,diferente sempre ele virá. Aí então mudo de opinião...e vou ler, e perceber outra expressão, mas que decepção. O entrevistador que não dá espaço para o entrevistado falar. O comentarista que não pronuncia o nome correto do desportista. A novela que dura menos de uma hora e consegue repetir a mesma fala por mais de três vezes no mesmo capítulo. O jornalista que não se apropria da verdadeira informação e saí esbanjando sua opinião rasa e mal elaborada. Salvo algumas exceções a falta de responsabilidade com outra formação Será que estou pedindo muito nessa equação...sem complicação só queria sentir respeito por essa condição tendo o privilégio de pensar. O ser que copia, copia e copia. Ai que saco! Então vou é falar escrevendo sem rótulo nem denominação, deixar fluir a tal inspiração... um texto com o contexto sem pretexto nem ambição.

19 comentários:

angela disse...

Parece que achou o caminho..."um texto com o contexto sem pretexto nem ambição."
beijos

myra disse...

sim, deixa ir, e ir......
sem pensar demais...
beijosssssssssssssssss

Dona Sra. Urtigão disse...

" Não apresse o rio, êle corre sòzinho"


Escrever é como pensar, simplesmente acontece, é inevitável e alguns o fazem bem, sabendo, como voce, outros simplesmente desaguam palavras e ideias no papel, como eu, mas escrever sempre.

João Menéres disse...

SELENA

Porque tens tu tantas (e as mesmas!) dúvidas há um tempão?

Tens o teu jeito de escrever e com muita graça (isso tu sabes).
Estás à espera de quê ?

Um beijo grande.

Selena Sartorelo disse...

Olá Angela,

Na verdade todos eles são, mas a vontade de escrevê-los é tamanha que parece não passar essa impressão.
Se é esse o caminho eu de verdade não sei..sempre penso que não conseguirei mais escrever até isso novamente acontecer. Sai como a água que bebemos, às vezes lodosa ou salobra, noutras com o sabor que a água tem que ter,,ah sei la do que adianta divagar.

Beijos e obrigada.

Olá Myra minha querida amiga,

Feliz se assim pudesse ser, mas ao menos alguns ânimos nos trazem esses sentimento.

beijos e obrigada,

Olá Dona senhora Urtigão,

A ansiedade que sinto tem a intensidade que o som que só você consegue ouvir na mata que habita. Peguei pesado talvez, mas é assim que tem que ser, errar para depois sem novidades aprender.

Meus pensamentos são comuns e sinceros como os teus e a palavra escrita é a ferramenta que usamos para demonstrar a nossa sinceridade da melhor maneira que sabemos.

beijos e obrigada.

Olá meu querido amigo João,

Ahhh!!!!! Sei que a insistência desse assunto te irrita, perdoe-me se assim se senti , mas se não fosse esse o lugar para eu responder, não teria você aqui me perguntado, sabendo inevitavelmente que eu iria ao menos tentar responder.

Ora, pois, pois!!!!!!vamos a brincadeira que de tão sincera penso ser uma arte e de menos rebustida, inventiva, requintada, abusiva ou requintada...simplesmente não é nada que cause a novidade.

O tempo não é tanto assim, escrever ainda é uma surpresa para mim. E quanto mais nisso eu penso mais eu me aproximo de sentimentos que desconhecia que sentia.

Um jeito de vários jeitos, sei lá.
Preciso das musas que escolhi, fica mais fácil assim. Observa minha escrita e percebi suas mudanças,nunca faz uma critica que a deprecie ou que eu desista,isso é muito sério para mim.
Não espero mais do que tenho aqui, porém João essa minha fascinação que se confundi com filosofia ou simplesmente uma impressão, está transformando consideravelmente aspectos da minha vida e preciso acreditar que o que faço tem de fato algum valor ( Em momento algum duvidei de sua sinceridade e opinião, apenas sinto teus gentis elogios demais para alguém que como eu que mal a escrever aprendeu) Não tenho tempo mais para esperar João, preciso trabalhar e o ano que passou foi muito bom,porém por conta da escrita e da situação que abalou demais a minha profissão pois escrever se tornou uma verdadeira paixão. Acho que dessa vez falei muito de mim.

beijos,

myra disse...

saudades...beijos

Luísa disse...

Bem!
Posso entrar e dizer algo?
Se não fosse essa paixão, não te tinha conhecido, não!
Escrever não é para todos! É só para aqueles que sabem lançar as palavras certas no tempo e local certo. Vamos aos elogios? não me parece que seja isso que procuras...pois esses são dados, sem interesse, á medida que vão aparecendo novos posts.As visitas são recidivantes: voltam e voltam e voltam.Porquê?Porque gostam de te ler.
Estou certa.Sabes que sim. E por mim, não deixes de escrever assim.
Hoje estamos em sintonia no escrever...apenas com certezas diferentes.
Beijinho terno, SENHORA da palavra!

jugioli disse...

Ser original implica apenas "ser"
O que já é uma festa quando se tem inspiração.

bjs.

Selena Sartorelo disse...

Olá Myra,
Também!
beijos,

Olá Luísa,

Claro que pode, sempre.
Na tua tão gentil dissertação acusou a oportuna questão que é essa paixão. Escrever não por saber mas por ter convicção.
E por tanto respeito que tenho por isso fico em conflito com essa contradição.
Tantas palavras boas me fazem sentir lisonjeada, mas o que escreve é uma afirmação que cabe a ti certamente, pois sabe compartilhar esse escrever tão delicadamente.
Um universo novo que até pouco tempo era desconhecido simplesmente.

Beijos

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

É Selena, não é fácil escrver pra quem é assim, como vc, como todos com tantos olhos, sentindo tudo ao mesmo tempo. [E uma arte mesmo reter a ideia assim que ela é formulada sem ambição, como vc mesma disse.

Mas eu gosto do teu jeito de escrever. Gosto de ler, çe leve efluido e, o mais importante, transpira verdades.

peri s.c. disse...

O desespero do criador antes de iniciar, durante a elaboração e depois de terminar, a obra.
Tudo igual, só muda o endereço.
Relaxa. E goza.

bjs

Ana Martins disse...

Selena,
este é mais um dos seus muitos textos fantásticos. Palavras para quê, se o texto só por si já diz tudo?

Gostei muito!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Selena Sartorelo disse...

Olá Ju,

Saber quando si é e em que momento somos é um equilibrio.

Beijos,

Olá Valquiria,

Assim, é compicado sim rsrsr!!
Obrigada, Um tempo que a gente segura com as mãos da mente, que se demorar engana e mente o que sente. Sentido siceramente isso eu sei e sinto bem.

beijoss e obrigada também.

Olá Peri,

Uma inteligente citação. Obrigada por incluir-me no quesito criação .
Com pausas pensadas, boas para serem retiradas.
Um vão com invisivéis colunas de sustençãorsrs!!
Um descanço merecido, um prazer adquirido.

beijos













beijos

Selena Sartorelo disse...

Olá Ana,

Obrigada dobrado.

beijos

peri s.c. disse...

Selena

Os criadores são seres solitários . Só eles ( nós ) compreendem a extensão misteriosa dos atos de captar, filtrar, articular e elaborar a forma de manifestação ( seja ela qual for ) de suas idéias.
Uff, cansa. E gratifica . Se bem que deveríamos ser muito melhor remunerados por isso, eh, eh.
bjs

Selena Sartorelo disse...

Olá Peri,

Gosto de te ouvir rsrsr!!

É sempre tão sucinto em tudo que diz. E quando não, e mesmo assim, mantem a precisão.
Mas sorrio sim quando me incluí nessa categoria.
Os mistérios de tais sabedorias, que fica na imaginação onde o olhar termina e a extensão se inicía. O que não vemos, apenas sentimentos.
Uma receita com igredientes certos e uma medida que vária para cada ser pensante.
Um exercício dolorido, mas como respirar ele é indispensável para uma existência suportável.


Beijos,

Maria Flor disse...

Selena,

Amei o texto. Sinto assim como você que o ato de escrever me toma por completo e não me resta outra saída: escrever sempre, tudo e quase todos os estilos.

Adorei o seu cantinho!

beijocas, Flor.

Regina d'Ávila disse...

Deixa fluir..
Deixa seguir..
Esta é a Selena que adoramos..
Beijos,
Regina.

Fatima Cristina disse...

Selena!

Que energia em forma de palavras, hein! Adorei!!!!!

"Quero falar de política, economia, literatura e poesia, história e tudo o que me interessa pensar, dar risadas com porcarias e me emocionar com a fotografia ou alguma poesia..."

As vezes também tenho uns desejos assim embaralhados... mas a sua explosao foi ótima. Eu acabo e acalmamdo e deixando pra lá...

Continue assim!

Beijos!