domingo, dezembro 20, 2009

EXPRESSO VIRTUAL

Imagem: google


A sensação do bem conhecer ocorre independente da convivência. A sensação do estranhamento ocorre mesmo com ela. Às vezes sinto a semelhança com tanta sinceridade, noutras a cegueira toma conta da alma.



A internet e sua função vêm sendo muito discutida ultimamente nos meios que convivo...Observando que uma identidade virtual é uma excelente oportunidade de divulgar e trocar conhecimento em todos os aspectos da vida. E está tornando-se meios de referências e comparações para aquilo que vende e aquilo que é comprado.
Acredito que as redes sociais ou qualquer espaço que te possibilite escrever ou apresentar e compartilhar acaba tornando-se uma atrativo difícil de ser ignorado, pois oportuniza que outros te conheçam naquilo que você verdadeiramente é, em gostos e opiniões dos mais variados assuntos. Além da ficção de um encontro em energia sintonizada e intensa. E isso é uma realidade hoje, um Novo que muitos ainda relutam em usar.
Repetindo o que já foi escrito por tantos, só escrevemos aqui por que queremos ser lidos.
Mas isso não traduz que ouviremos só o que e de quem queremos, estamos expostos e sujeitos as contra-opiniões e também prazerosamente a encontros com seres que somam , respeitam e valorizam a vida em todas as culturas.
Existem os espaços mais informais, outros mais profissionais, as propostas são muitas e os acessos são fáceis e confortáveis para confirmar essa exposição.
Mas quanta responsabilidade a nisso, pois formam-se opiniões e influências dessas. A maneira como se escreve demonstra claramente o que entendemos como conteúdo ou marcação de presença. O despreparo e a falta de intimidade que a maioria tem com tantos assuntos, é tanta, que o espanto é imediato.
Vejo ferramentas que são utilizadas com seriedade respeito de pensamentos ,tons ilimitados, mas que mantêm a ética como ordem primeira...Não existe a palavra censura, conhecimento sim, conhecer pessoas comuns que pensam muito e pensam bem...opto por eles do que por pseudos ou supostos conhecidos que não sabem o que fazer com esse teclado e menos ainda onde e como e se quer chegar em algum lugar.

Existem os que gostam de escrever então tem uma ótima razão. Também os que gostam de ler ler, então a razão se intensifica. Observadores, artistas, intelectuais e pessoas comuns como eu.
Em minha opinião é um instrumento que te obriga a pensar a postura que tem e te dá a oportunidade de tentar melhorá-la se entendo que hoje deixamos rastros virtuais.
Não quero voltar atrás daquilo que escrevi para apagar, não que não erre, erro e muito, mas procuro pensar e cuidar melhor das minhas palavras e pensamentos quando escrevo. Não escrevo para criar uma imagem que não tenho, isso não significa que vou sair escrevendo que estou ou não com o intestino preso...posso sim é para também apresentar outras imagens que talvez não conheça.
Nos rastros deixados não existe diz que me diz..está ali escrito é só procurar. Muito diferente de criar uma imagem falsa, essa ferramenta te possibilita conviver virtualmente com muitas pessoas que conhece na vida real e isso incluí todas as bobagens desnecessárias que são escritas, incluindo o excessivo uso de adjetivos ou a falsa imagem que se escrever palavrões quer dizer que vive numa democracia, e é liberto de conceitos tão conservadores e caretas, esquecendo que se você diz, isso dissolve e é esquecido com maior facilidade, e o que escreve, nem sempre é apagado...um grande livro humano.
Outros espaços premiam seus seguidores...isso me lembra muito a bolsa família doada pelo governo.
Alguns acabam sumindo porque acabaram os vocábulos .
Outros pensam estar distante o suficiente e se sentem-se protegidos e se vêem no direito de agredir e criticar sem base ou fundamento que os qualifique.
Mas nada é absoluto e chato o tempo todo o que é uma coisa que muitos pensam...a maioria tem preguiça de assistir um filme legendado...e não perde um capítulo da novela (seja ela qual for) e acha o máximo saber as fofocas dos realitys...ou até regozijam-se com programas que denigrem a própria imagem do profissional que é. E é essa popularidade ignorante que procuro evitar.
Tem aqueles que conhece e que te conhecem também independente de ter ou não estado diante delas são reais e solicita de você alimento para que esse espaço sobreviva pelo o tempo que lhe é dedicado em leituras e comentários.
Os comentários repetidos e vazios chegam a um momento que cansa aquele que gosta e sabe ler e mesmo que não saiba está tentando aprender. Diferente também de comentários curtos e inteligentes que são poucos mas conseqüentemente escritos por quem leu e entendeu e não apenas quer marcar presença. Eu particularmente prefiro os mais longos, adoro saber os porquês sentidos e pensados.
O pensamento do outro que tem a sinceridade como premissa dos seus sentimentos pensados em sentidos que interessa. Uma interação com pessoas que possuem semelhanças...

5 comentários:

Chica disse...

Lindo e sincero teu depoimento! Nesse munbdo virtual, acontecem coisas estranhas...Nos toornamos íntimos de pessoas que nem vimos nunca...Recebemos carinhos, leituras e comentários e pra mim, basta a energia dispendida em vir até meus blogs, já me deixa feliz.Mostra que naquele tempinho, pensou em mim e ainda bem, nunca recebi nada grosseiro... Claro que gostamos de longos comentários desde que tenham a ver com o texto, né? beijos, linda semana de Natal,chica

Kovacs disse...

Selena, você mesma definiu muito bem essa necessidade de escrever na sua postagem, sobre o Facebook, me identifiquei completamente com o seguinte trecho:

"sabem que gosto de escrever, isso não é novidade. Não que eu saíba, mas gosto, fazer o quê? Tem tanta gente que faz o que não sabe e nem gostar de fazer gosta não é mesmo?

Quem é capaz de expressar um sentimento assim sabe esrever sim!

Teresa disse...

Olá Selena
Apareci aqui por causa da bloggincana, à procura da continuação do texto e encontrei o seu longo depoimento sobre as redes sociais. Eu penso mais ou menos como você. Acho que há de tudo na blogosfera, bom e mau, e cabe-nos a nós distinguir quem queremos ouvir, ler, conhecer. Eu também gosto de escrever e, por isso, de partilhar pensamentos e sentimentos. Quando alguma coisa não me agrada, não publico, ou bloqueio o seguidor (só me aconteceu uma vez). Mas acho que há espaço para todos os tipos de expressões e interesses e nada me irrita mais do que a arrogância de quem acha que define o que é um bom blogue!
Bem, quanto à bloggincana, se calhar tem de continuar a história, porque o colega anterior passou o prazo.
Bjs e Bom Natal.

Selena Sartorelo disse...

Olá Chica, Olá Kovacs!!!

Sou nova nesse universo, eu acho! Mas sei porque estou aqui.
Não tenho vergonha de dizer.
Quando reli essa frase que o Kovacs publicou precisei ler mais de uma vez para entender, e só após algum tempo é que fui perceber que eu é que a tinha escrito.
Acho que faço o que não se pode fazer com a literatura, acho que escrevo falando, pois meu marido sempre diz para eu parar de falar escrevendo.
Chica você tem toda a razão quando menciona comentários que são gigantescos e não tem absolutamente nada a ver com uma palavra se quer do que foi publicado na postagem comentada. Acho que se pedir licença e essa for concedida faça o comentário que quiser, mas se não, pense no que vai escrever...às vezes eu não tenho paciência para ler. Sei que é estranho eu escrever isso,pois meus comentários são normalmente imensos mas mesmo quando não são garanto-lhe que dizem respeito ao que foi escrito.
Mas posso ter feito comentários até não tão bem aceitos, peço desculpas a quem concluiu isso e peço que o releia porque eu não digo saber escrever, apenas escrevo o que sinto sobre o que percebo na postagem. Não digo que é certo ou que é errado fazer isso, mas não consigo evitar mais do que já evito.
Sabe Kovacs! existem tantos lugares que eu gostaria de escrever...e não o faço por vergonha.E quando ouço palavras de incentivo como essas, fico emocionada de verdade.
Sabe Chica!Quando leio comentários como esses penso que vale a pena continuar, pois afinal eu estou aqui para aprender. Tudo vira texto, eu sei disso, gostamos dessa brincadeira seja ela apresentada em que arte for.

Beijos muito obrigada ao dois por todo esse tempo que nos doamos.

Olá Tereza,

Seja bem vinda. Desculpe-me, mesmo! Eu não sabia que já tinha chegado a minha vez, vou ler o que ainda não li e ainda hoje publico.

Acho que pensamos diferente sim. Nunca pensei em colocar moderador de comentários em meu blog. Já exclui alguns blogs que acompanhava simplesmente por desinteresse ou por não querer mais compartilhar algumas opiniões. Não obrigo ninguém a comentar, muito menos a ler.
E como você foi, eu apenas peço que sejam sinceros, como eu tento ser.
Não peço que escrevem o que eu quero ler,mas peço que respeite quem aqui vem ler e como eu escrever. Na verdade não sei como reagiria, antes talvez, tentar entender e conhecer quem o escreveu. Sei que isso pode parecer arrogante e antipático, mas não é.
Se conheci ou recebi algum comentário inoportuno com certeza está por aí, mas sinceramente eu esqueci.
Fique tranquila vou ver a quantas anda o conto e continuo se conseguir.

Beijos e obrigada pela lembrança e pelo comentário

myra disse...

belissssssssssimo texto, belisssssimas imagens, todas, um feliz ano para voce con tantisssssssssimos beijos,