quinta-feira, outubro 29, 2009

INCOMPREENSSÍVEL OBVIEDADE

AUGUSTE RODIN A mão de Deus ou A Criação [Mus. Rodin - Paris]


A necessidade em querer entender o que já foi em todas as línguas dito e por todas as artes descrito. A crucial intenção em ser e na eternidade viver. Citações que continuam no passado impregnado de fantasmas com suas explicações medíocres e mentirosas e que de lá não mais sairão. A epistêmica confirmação e sua real significação. A palavra em questão. A vida que reclama vida. O sentimento que busca sentido. A razão confortável que alimenta a arrogância e a minha ignorância. O pesado, bruto e absorto pensar que o alcance da compreensão há de chegar . Conhecimento citado, reconhecido, repetido e denominado eu.

20 comentários:

João Menéres disse...

AI, SELENA!
PALAVRAS TÃO COMPLEXAS PARA MEU ENTENDER!

Rs...

Lindo o teu prâmbulo.

És sempre assim?

Um beijo.

João Menéres disse...

QUIZ ESCREVER PREÂMBULO !!!

Quase Blog da Li disse...

Denso seu texto, como a mão do artista...
Prefiro a verdade,
a afirmação metafísica do que a epistêmica.
De maneira nenhuma
alimento a razão
que alimenta a arrogância;
de vaidosos estou farta!
Eles proliferam como as varejeiras!
Melhor a frescura do aprender sempre
do que
o pesado e obrigatório fardo
do "sei tudo".
Por falar em moscas,
deixei monte delas (em meu blog) aos enfadonhos-mumificados-pseudo-artistas-intelectuais-vaidosos
que pululam em todo lugar.
A vida
reclama
a vida!
A vida necessita ser generosa;
me acerco dos
verdadeiros generosos,
os sem vaidade.
Eles merecem o meu tempo.
Beijo Selena,
com saudade.

angela disse...

Texto denso. Não sei de eu você fala, como tenho varios, vou aos pedaços pela vida, cada vez com um (ou mais) se manifestando e talvez tenha um que queira morrer.
Apurado e bonito seu texto.
beijos

Chica disse...

Um texto profundo, forte e que faz pensar...beijois,chica

Luísa disse...

Vejo na imagem o que leio no teu texto: sensibilidade na escultura das palavras quando do desconhecido (mas sentido) falas.
Hoje deixas-me a pensar...
Beijinho terno, Selena

João Menéres disse...

ISTO HOJE POR AQUI FOI SÓ INTELIGÊNCIAS...


Beijos para esses lados.

Selena Sartorelo disse...

Olá João

Palavras escritas com o idioma natal. Lidas pelo pensamento de quem lê os exórdios cabíveis em diversos aspectos e teores aspectos.

Entendo João! Entendo rsrsrsr!!!!

beijos

Olá Li,

Um fantasma chamado "Égo"
que se mantêm sem tempo nem medidas...

Beijos e obrigada por tudo.

Olá Angela,

Temos todos muitos "eus", mas as escolhas de quais queremos e percebemos ser e ter é uma questão de tempo eu acho, não sei.

beijos e obrigada,

Olá Chica...Pensar hoje em dia virou sinônimo de coisa chata... às vezes é bacana quando ouvimos isso, temos a impressão de não estarmos sozinhos não é mesmo? rsrsr!!!!!!

beijos e obrigada

Olá Luísa,

Um desconhecido que a finitude estabelece, sendo absoluto, limita e mata.

beijos e obrigada minha querida.

Olá João...Iniciei as respostas contigo e por enquanto as encerro em tua querida companhia.

Seres que cultivam assuntos sem nenhuma pretensão, além daquela de querer entender a dificuldade de simples ser.

beijos

Ángel Corrochano disse...

Tenemos una necesidad de conocer y formular preguntas y que nos den respuestas y soluciones. tal vez esas soluciones estén en nosotros mismos

Un abrazo

entremares disse...

"Enquanto o homem não souber para que porto quer ir, nenhum vento será o vento certo" - Séneca.

Conseguirás algum dia devorar todo o mundo, alimentares o espírito de tudo quanto desejas?

Não, talvez não... mas decerto que tentarás, em todas as linguas, de todas as formas.

Beijos.
Rolando

Lina Faria disse...

Selena,
Você tem uma sensibilidade intensa, nem sempre ao alcance da rotação de todos e a toda hora.
Você é uma pessoa bonita. Seja você.

Selena Sartorelo disse...

Olá Ángel,
Fatalemente somos estas respostas, o complicado é aceitar o mediocre.

beijos e obrigada.

Olá Rolando,

"Enquanto o homem acha que tem que ir para algum porto ele acaba perdendo a oportunidade de conhecer o que ele está".- Selena rs.

Nunca pensei nisso, mas a ideia é bem atraente rsrs!!
Que o alimento seja sempre farto.

beijos e obrigada.

Olá Lina,

Itensa certamente.
Sensível, ainda no caminho.
Uma velocidade ás vezes além, noutras aquém.
Obrigada você também é.

beijos e bom final de semana.

Ana Martins disse...

Olá Selena,
sensibilidade e profundeza nas palavras. Um sentir inquieto no desejo de tudo compreender!

Lindo, adorei!

Beijinhos e bom fim de semana,
Ana Martins

Selena Sartorelo disse...

Olá Ana...
Uma constatação apenas. Mais triste do que sensível, mais sentidas do que ditas. Uma procura imprudente...

beijos e bom final de semana prá você também.

ellen disse...

Genial Selene, muito sentido e bela estatueta... adorei!

Beijinho

Arséne Lupin disse...

Muito interessante o teu blogue.
Amanhã venho cá com mais tempo.
Boa noite...

AL

Lomyne disse...

lindíssimo, Selena, deliciosamente envolvente.

Selena Sartorelo disse...

Olá Ellenn,

Que bom que gostou e que um sentido encontrou rsrs!!!
beijos, obrigada pela visita.

Olá Arséne,

Seja bem vindo e volte sempre que quiser.
beijos,

Olá Lomyne...obrigada,
beijos

Selena Sartorelo disse...

Olá Ellenn,

Que bom que gostou e que um sentido encontrou rsrs!!!
beijos, obrigada pela visita.

Olá Arséne,

Seja bem vindo e volte sempre que quiser.
beijos,

Olá Lomyne...obrigada,
beijos

Sr do Vale disse...

Tão grande ignorância, que caberia em muitos livros.

Abraços.