quinta-feira, junho 25, 2009

INCLINAÇÃO


Moço de fino porte

A notar pelas suas vestes

Moço que saiu prá conhecer o mundo

e encanta a menina esbelta que dança ao seu lado,

chamando a atenção de quem passa.

Ele!

Nem percebe o movimento, está descubrindo os olhos

percebendo que se pode ouvir a visão

e ver as ondas do som.

Moço de fino porte,

que vagueia procurando o seu norte,

a sua direção.

O prumo e o eixo

um equilibrio perfeito

Uma diversa tripulação

foto:CHAPA

30 comentários:

jugioli disse...

Criar seus próprios símiles...
transitar nos seus próprios sonhos..

Pura poesia


@dis-cursos

Ví Leardi disse...

...sonhos e ...emoções...
Quanta coisa linda acho aqui.....um grande prazer te ler e reler...Bjs

tonhOliveira disse...

Nem percebe o movimento,
está descubrindo os olhos
percebendo que se pode ouvir a visão
e ver as ondas do som.

Gosto destas in(versões) e invenções

Gosto de ouvir com os olhos
Ver com a boca
e falar ao teu ouvido!

Louco!

Gostei,
Beijos!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Este é o problema; o equilibrio perfeiro.
Gostei!
beijossss

Chapa disse...

...e quem bem que ela fica aqui.

Selena Sartorelo disse...

Olá Ju...a maneira que cada um tem de perceber..beijos e muito obrigada..é mais do que pretendo.

Olá Ví... Com esse sorriso que ouço daqui...tua leitura sim que é muito, mas muito bacana.

beijos,

Oi Tonho...Ihhh...eu adoro brincar com imagens e palavras ...e tendo a companhia de artistas como vocês é muito melhor ainda .bommmmmmmmm demaisssss!!!!!!!!!!!!Beijos.

Olá Martha...perfeição se perfeita deve ser muito sem graça né? rsrsr
beijos.

Olá CHAPA.
Obrigada........eu também gosto.

beijos

Caçador disse...

Olha o Chapa aqui com um banco de Madeira...

Susana disse...

Olá Selena!
Em nome da organização da Blogagem Colectiva"Aldeia da Minha vida", quero agradecer a sua participação , na qualidade de leitora e eleitora.

Dia 30 de Junho serão publicados os resultados.

Até lá,
Bom fim de semana!

Susana Falhas

Selena Sartorelo disse...

Olá meu querido amigo,Caçador...O CHAPA foi muito gentil em permitir que usasse a foto dele..adoreiiiiii
beijos e bom final de semana.


Olá Susana,
Obrigada por avisar.
Um bom final de semana para você também.

cordialmente,
Selena

entremares disse...

Com o maior dos cuidados, avançou, sorrateiro.
Um passo, depois outro, depois ainda outro.
Estranhamente, ela não fugiu, estremecendo simplesmente as asas quando sentiu o “clique” da fotografia.
O fotógrafo estava encantado. Uma “Papilio machaon”, bem ali à sua frente, a pouco mais de dois metros de distância, imóvel, com um enquadramento perfeito, um fundo de vegetação escura... e sem qualquer réstea de vento... a fotografia perfeita.
Avançou um pouco mais, disparando sucessivamente.
Fotografar borboletas – diriam uns – poderia ser uma ocupação excêntrica, um clichê banal da fotografia de natureza ( fotos bonitas, coloridas, vistosas... ) – mas nada disso o afectava. As borboletas, como aliás todos os insectos, eram seres extremamente fotogénicos, elegantes, de uma pose natural que dispensava treinos e ensaios – já haviam nascido modelos.
Aquela borboleta andorinha, como era habitualmente conhecida, com os seus dois chifres amarelados, parecia no entanto estranhamente à vontade, sem se importar com os estalidos incessantes da máquina fotográfica – quando muito, abanava suavemente as asas acastanhadas, sem sequer levantar voo.
Aproximou-se um pouco mais – não estaria a mais de dois palmos de distância.
A borboleta fechou as asas e quando as reabriu, ocupou por completo o visor da objectiva – imóvel, serena, brilhante.
Apeteceu-lhe – de a ver ali tão perto – tocar-lhe, sentir-lhe a suavidade das asas coloridas, a leveza do corpo elegante.
Resistiu à tentação.
Aprendera há muito a não invadir aquele mundo mágico que ficava do lado de lá da sua objectiva – o encanto existia para ser visto e apreciado, não para ser tocado ou possuido. Quando muito, a fotografia tornaria eterno aquele momento fugaz de contacto íntimo, em que o fotógrafo e o seu modelo se fundiam, ela a desvendar-se perante os seus olhos, ele a saciar-se com a sua beleza.
E foi então que, num daqueles raros momentos que as fotografias nunca conseguem captar, um pouco de magia aconteceu.
A borboleta soltou o ramo onde pousara e com um suave bater das asas, veio pousar sobre a máquina fotográfica.
As antenas douradas agitaram-se, as asas estremeceram e ali permaneceu, nuns poucos segundos com sabor a eternidade, ambos a contemplar-se, quem sabe – olhos nos olhos – tocando o mundo imaginário de um qualquer conto de fadas.
Finalmente, levantou voo e afastou-se graciosamente, rumo a outro punhado de flores.
O fotógrafo permaneceu, porém, ainda a apontar a objectiva para o local vazio onde já não existia nenhuma borboleta.
A fotografia que recordaria para sempre – aquela borboleta ali pousada, a poucos centímetros do seu rosto – não ficaria registada em nenhum outro local, senão nas suas próprias memórias.
Guardou cuidadosamente a máquina fotográfica no respectivo estojo.
A borboleta dourada esvoaçava ainda ali perto, em redor de outro canteiro de flores amarelas.
Olhou para ela... e sentiu, sem perceber como, que ela lhe estava a retribuir o olhar...

Selena Sartorelo disse...

Olá entremares,
Numa manhã nublada e fria de domingo teu conto encanta o dia...
Verdades contadas com pura magia...Obrigada por presentear-me com tão delicada leitura.

beijos,
Selena

Selena Sartorelo disse...

Olá novamente entremare..Voltei, pois não consegui evitar as lebranças que teu conto meu trouxe, uma história verdadeira, só não tenho a fotografia, mas acho que nunca esquecerei esse dia.

Um dia estávamos num pear as margens do rio Jacaré.
Era um trecho do rio com grandes cachoeiras, muitas rrebentadeiras, água limpa que descia veloz e com furiosa natureza em sua correnteza.
E nelas desciam canoas, botes trazendo seus esportistas, guias e turistas. As arvores os acolhiam e com elas a natureza manifestava –se com seus habitantes.
Entres nós havia uma menina que bem cheirava. Não era uma fada, mas digo que era encantada.
De um azul mais lindo que o do céu a borboleta dançava e por entre nós voava. Seu tamanho era pequeno, mas isso não a impedia de ser a garota e a atração do dia. Resolveu descansar e no ombro da menina pousar. Essa por sua vez não se pos a gritar, porém sorria com o presente ganho no dia. Mostrava com orgulho e admiração a linda borboleta que a escolheu entre todos que ali estavam..mas tal emoção logo acabou quando a borboleta vôo levantou e com suas cores e lindo balançar deu inicio a outra apresentação espetacular.
A menina então não sofreu com a partida da borboleta e continuou feliz com o momento. Mas de repente lá vem ela novamente e entre todas as voltas que deu foi no ombro da menina que ela novamente adormeceu.
Um momento que trazia uma beleza que não esquecerei um olhar sem fotografia.

beijos

Valdemir Reis disse...

Olá estou visitando, parabéns pelo belissimo trabalho, excelente. Quem segue acompanhado de um amigo vai mais longe, muito além...
Compartilho o texto a seguir
“A amizade é assim:
É sentir o carinho,
É ouvir o chamado.
É saber o momento
de ficar calado.
Amizade é somar
alegrias, dividir tristeza.
É respeitar o espaço,
silenciar o segredo.
È a certeza
da mão estendida.
A cumplicidade que
não se explica,
Apenas vive!”
Olavio Roberto
Grato de coração por sua atenção e gentileza. Deixo votos de um fim de semana repleto de muitas alegrias, muitas bênçãos e que reine a paz, saúde e proteção, brilhe sempre! Fique com Deus. Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Felicidades.
Valdemir Reis

Chris disse...

O prumo e o eixo... gostei de ler estas palavras. Parabéns.
bj
Chris

Susana disse...

Olá!

A blogagem da Aldeia da Minha Vida foi um grande sucesso, graças à sua participação e divulgação.

Convido-o(a) a participar na próxima blogagem de Julho “ Férias na Minha Terra”.

É uma oportunidade única para demonstrar a todos que vale a pena passar férias no nosso país, especialmente na nossa querida terra, seja ela aldeia, vila ou cidade.

Inscreva-se e mande o seu texto até 7 de Julho para o seguinte e-mail: aminhaldeia@sapo.pt

Para premiar a sua participação, vamos atribuir ao melhor post um fantástico prémio e ao melhor comentário também.

Muito obrigado pela sua atenção!

Votos de um feliz dia!

Susana Falhas

Cristiana Fonseca disse...

Querida Selena,
Não tenha palavras para agradecer a tua gentil e amável visita, sinto me pequena diante de tuas palavras.
Obrigada Selena, mas meus desenhos são timidos, simples, sou mesmo é agradecida a Deus, por me emprestar o olhar estraordinário.
Tuas poesias sim, tua escrita sim e tua pernsonalidade e estilo estes sim, são estraordinários, divinos.
Beijos,
Cris

Selena Sartorelo disse...

Olá Valdemir obrigada por trazer-me palavras tão abençoadas.

abraços,

Olá Cris...Agradeço muito esse teu "momento certo" de gostar rsrsr

Beijos,


Olá Suzana, obrigada por avisar-me.

cordialmente,


Cris Fonseca dona de uma beleza única de alma!!!!
beijos sempre gratos.

Selena

Brechó Maluco disse...

Olá

Estou aqui para te fazer um convite...

Venha conhecer meu blog-brechó:

http://brecho-maluco.blogspot.com

Espero sua visita.

nois de lean disse...

la danza, la flor mas cuidad del jardin

que lindo pasar por tu casa

abrazos

Anônimo disse...

Ei querida!!! O blog "O que elas estão lendo!?" está com sorteio!

Como você é nossa seguidora, viemos aqui te lembrar que amanhã é o último dia para participar.

Como participar? Só deixar um comentário dizendo: Eu quero participar!

Você vai estar concorrendo ao livro do famoso escritor brasileiro Pedro Drummond.

Depois é só cruzar os dedos!

beijos e boa sorte

Equipe "O que elas estão lendo!?"
www.elasestaolendo.blogspot.com

jugioli disse...

Selena, lindo o seu e-mail de ontem, estou lhe aquardando. Também vou sair de férias, e a gente se fala.


Olha, não precisa de escola, ou formação para ser escritor, claro que voce não acorda de manha e diz, bom hoje eu vou ser poeta, mas existe o dom da palavra, do sentimento, e nenhum diploma pode lhe dar.


bjs.

Kovacs disse...

Selena, obrigado pelos comentários gentis e generosos lá no meu mundo e, se me permite, passo a acompanhá-la com muito interesse.

Selena Sartorelo disse...

Olá Brechó...obrigada pelo convite.


Olá nois de lean...obrigada por tuas palavras e por tua visita.

beijos,

Olá "o que elas estão lendo" obrigada por avisar-me já fui até lá participar.

beijos,

Oi Ju,então nos veremos assim que surgir uma oportunidade...e acho que tem razão em tudo o que disse.

Beijos e feliz aniversário de sempre rsrsr. Bela festa...os doces da Ví então estavam ótimos.srsr

Olá Kovacs..Não só permito como me sinto muito bem com isso, obrigada.

beijos,

atma atom disse...

Tu és mulher sábia, Serena!
Obrigada pela tua lucidez.

Um abraço.

Chica disse...

Que lindo! Vim conhecer teu blog e me encantei. Também o da tua filha(imagino...) é um amor! beijos,chica

Selena Sartorelo disse...

Olá atma atom...agradeço teu conceito com muito respeito.

abraços,
Selena

Olá Chica, Obrigada..fico feliz com seu encanto e a Maria também vai gostar pois carrega na tua imagem um dos bichinhos preferidos dela!!! rsrsr
beijos,

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Aqui sempre é belo.
Obrigada pela gentil visita amiga.
Uma boa e feliz semana.
beijossssssssss

Ví Leardi disse...

Selena ...só confirmando a grande cabeça que vc é....òtima a sua analogia sobre a carta de Maquiavel...Brava.Beijão!

O Profeta disse...

Ao meu querer!
Dias noites, estações esquecidas
Inventei sonhos para sonhar
Lavei mágoas, dores perdidas

Uma árvore toca as águas da lagoa
O nevoeiro faz desenhos nas cumeeiras
Um Melro negro solta um pio ao acaso
A palavra quero-te diz-se de mil maneiras


Convido-te a ver a Cor da Claridade


Doce beijo

Menina Misteriosa disse...

Lindo seu cantinho.
A delicadeza e força de suas palavras encantam e conquistam!
Espero voltar mais vezes!
Beijos