domingo, janeiro 04, 2009

O NOME DADO...


Sempre imaginei serem Deusas as palavras
E Deuses os sentimentos.
E um só existe se o outro existir...
Sempre imaginei
Uma palavra uma vida.

Uma história que se repete pelo tempo
E evolui pelo conhecimento...que infeliz é seu detentor
se a ignorância o acompanha, e a sabedoria o abandona.
Observa a razão o comando dos sentidos atribuídos.
E comunha o sentimento nos verdadeiros e reconhecidos

aspectos dos organismos.

10 comentários:

A Torre Mágica disse...

Ei! Adorei a sua visita. Volte lá mais vezes, tá bem!? Porque eu não vou mais sair daqui (rsrsrsrs)! Parabéns! Seu blog é muito legal! As imagens, os textos e os sentimentos... é tudo lindo!

Abração.

Pedro Antônio - A TORRE MÁGICA - www.atorremagica.blogspot.com

Adolfo Payés disse...

Muy bellos tus escritos...

te enlazo a mi blog para poder seguirte siempre en la lectura..

un abrazo fraterno con mucho cariño

O exterminador disse...

Tanto palavras quanto sentimentos carregam em seu bojo o purgatório, inferno e paraíso.
A vida é um somatório de antíteses, e feliz daquele que tem esta consciência.
FELIZ 2009!

Beijo grande.*

O exterminador disse...

No caso das «influências», isso é tão subjectivo, que pouco de relevante teríamos a dizer, mesmo considerando que o conceito de «escola» se sustenta em influências partilhadas.
Nao confundir nunca influência com plágio. O autor resolveu denonimar de plágio criativo as mais diversas influências que resultam nos tempos modernos de uma infinidade de textos gerados por um determinado. Na verdade, eu ficaria feliz se eu exercesse influência a partir do que escrevo em outras pessoas.
Bom fim-de-semana!

Selena Sartorelo disse...

Meu querido amigo..escrevi mais alguns pensamentos que tenho sobre o assunto em seu blog.
beijos,
Selena

O exterminador disse...

Selena:
Concordo inteiramente contigo: o plágio por si só apresenta características pobres, mas infelizmente tornou-se o grande pecado capital na Internet. Entretanto, confunde-se muito plágio com influência. Vou explicar. Eu faço um curso de Oficina Literária. Durante a aula, um tema é desenvolvido e todos os alunos começam a discorrer sobre tal tema. Às vezes no resultado final, alguns textos ou poemas ficam parecidos, todavia, todos nós sabemos que ninguém copiou ninguém. O que ocorreu foi o fato de duas pessoas que escrevem começaram a ler os mesmos autores, trocarem idéias e no cômputo final terem adquirido a mesma bagagem cultural. O conceito de plágio criativo também passa por esta vertente: você se influencia, filtra e cria uma coisa tua, porém, muitas vezes nota-se de onde veio a influência.
No esquadrão isto tem acontecido: pessoas de um mesmo âmbito apresentar formas e características semelhantes. Nos dois casos tratava-se de góticos. No primeiro caso autor de um texto acusou a escritora de ter sugado suas idéias, o que percebi não ter acontecido. No segundo caso duas moças da mesma idade, que estudam na mesma escola e lêem os mesmo autores produziram poemas semelhantes. Não houve plágio em nenhum dos dois casos, e às vezes fica muito difícil convencer os autores disso.
Pode escrever o quanto e quando quiser.

Beijos.

Sr do Vale disse...

Selena, ainda bem que pensas assim sobre as palavras.
Mas como sabes neste meu estágio, estou as substituindo por cores e formas.

Abraços.

Sr do Vale disse...

Sobre a foto principal (banner).

Explosão em dimensão cósmica
Supernova, Quasares, Galáxia, Buraco Negro...
Forças inimaginais em estruturas sem coerência aparente,
Coexistindo na magnitude do amplo, do abstrato, do surreal
O Universo.

tossan disse...

Visitei o Sr. do Vale, vi o seu blog e me encantei com a sua poesia. Volto! Abraços

Sr do Vale disse...

Olhas só o Tossan, esse fluxo vai longe.
Bom quanto ao 'islaids', poderia escolher Dali, ou quem sabe Portinari, Frida, sim Frida, mas acho que vou ficar com o cara na caixa vermelha, é interessante e nem sei quem o pintou.

Abraços.