sábado, novembro 22, 2008

ÁUREO


Ser é esse ...
que descobri que não é eterno
mas o sentimento imortaliza
O momento de sua curta existência
Se realiza.
Ser é esse...
A beleza que não lhe foi concedida
E como castigo ou recompensa
Se fez compreendida
Ser é esse...
que interessa a cada instante
com todos os rompantes de um
itinerante
Ser é esse...
que passa tão rápido que não
deixa a deusa lembrança
alguma fisionomia,
mas como uma estrela guia
a luz é cor
É o sol de cada dia
E sempre por noites infindas a lua diferencia
e sua aparência torna-se fantasia
Ser é esse...
Perpetuo
transformando
constante eclosão
em movimentos incertos,
em união
Ser é esse...
Essencial
Mente
inteligente
E corpo
Irracional
Mente
Absorto em pensamento
e a compreensão do sentimento

7 comentários:

Mar Arável disse...

Ser é esse?

A vida é também essa eterna

procura de resposta

por debaixo das pedras

em todos os mares

até nos encontrarmos

Sr do Vale disse...

Selena,
Sensível
Visivel
Invisivel
Paupavel tal manga madura caída do pé.

SE(LE)NA

tossan disse...

Lindo poema! Aproveito as palavras do Sr do Vale, como vc fez na pintura utópica e bela do nosso artista! Parabéns pelo poema e a escolha. Bj

Tomáz disse...

Ser é ser, nada mais do que isso.
Se não é isso, é omisso.
Se omisso é um mestiço....
Beijos....

Ravnos_Blacklotus disse...

Achei muito interessante o blog, está de parabens

Salve Jorge disse...

Ser é esse
Seres
Que és
Aos teus pés
E na tua cabeça
Começa...

O Profeta disse...

Sou palavra perdida no silêncio
Gerada no ventre do Mar
Grinalda de perdidos sonhos
O passado do verbo amar

Amei!
Voar na chegada de cada Primavera
Pintar de luz as cores do verão
Pisei o tapete das folhas de Outono
Acendi em cada inverno uma fogueira de paixão


Convido-te ao encontro com o meu “Eu”


Mágico beijo